Facebook jornal do sertão Instagram jornal do sertão Whatsapp jornal do sertao

Pernambuco, 12 de julho de 2024

Economia

Maior Plano Safra da história: Banco do Nordeste anuncia aporte de R$ 21,5 bilhões

O valor para o Banco aplicar na safra 2024/2025 será R$ 1,5 bilhão maior que o volume do exercício anterior. Acréscimo foi concentrado na agricultura familiar

Postado em 04/07/2024 2024 11:05 , Economia. Atualizado em 04/07/2024 22:48

Durante o Plano Safra 2024/2025, o Banco do Nordeste (BNB) contará com um montante total de R$ 21,5 bilhões para suas operações. Esse valor representa um acréscimo de R$ 1,5 bilhão em relação ao período anterior, com o intuito de beneficiar a agricultura familiar. A divulgação foi feita hoje, 4, pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em Brasília (DF), juntamente com o presidente do BNB, Paulo Câmara.

Agricultores familiares receberão um montante de R$ 10 bilhões para ser investido no período de julho deste ano até junho de 2025, representando um aumento de 17% em relação ao período anterior. Por outro lado, a agricultura empresarial terá à disposição R$ 11,5 bilhões, mantendo o mesmo nível de investimento feito pelo Banco do Nordeste em projetos de grande porte.

De acordo com o líder Lula, as ações de crédito e a iniciativa de aquisição de alimentos pelo Governo Federal têm o propósito tanto de assegurar o abastecimento de alimentos para a comunidade quanto de prevenir o aumento da inflação. Ele destaca a importância de incentivar a plantação em larga escala e de garantir que, no momento da colheita, ninguém saia no prejuízo devido ao excesso de produção. Para ele, é fundamental que o governo assegure uma remuneração justa. A produção excedente de leite, queijo, tomate, pepino e chuchu, conforme sua visão, não resultará em inflação no preço dos alimentos.

O Banco do Nordeste (BNB) participa do Plano Safra atendendo a produtores rurais e agricultores familiares de todos os portes que atuam na região Nordeste e parte dos estados do Espírito Santo e de Minas Gerais, ofertando crédito para investimento, custeio e comercialização.

“Respondemos pelo financiamento de 95% da agricultura familiar da Região Nordeste. São os produtores que colocam comida na mesa da população e que giram a economia, sobretudo fora dos grandes centros urbanos. Além disso, estamos presentes em todos os polos de desenvolvimento do agronegócio”, destacou Paulo Câmara.

Programa de microcrédito rural Agroamigo do Banco do Nordeste é modelo para agricultura familiar (Foto: Fernando Cavalcante\BNB)
Ciclo 23/24
As contratações do Plano Safra do ciclo 2023/2024, encerrado agora em junho, somaram mais de R$ 20 bilhões, o que representa um crescimento de 18% em relação ao contratado em todo ano safra anterior. Os valores correspondem a aplicações na agricultura familiar e na agricultura empresarial.

Somente para agricultura familiar 2023/2024, o Banco aplicou mais de R$ 9,4 bilhões, 86% a mais do que o registrado no ciclo anterior, crédito pulverizado em mais de 718 mil operações de crédito.

Entre as iniciativas do Banco do Nordeste para a expressiva ampliação dos resultados frente ao ciclo 2022/2023 estão a expansão do atendimento do Agroamigo Mais, programa de microfinança rural do BNB, que fez crescer o número de agentes de crédito de 900 para 1,3 mil, em menos de um ano. Atualmente o programa atua com microcrédito rural em todos os 2.074 municípios da área de atuação da instituição.

“Em relação à agricultura familiar, é importante destacar que o Banco do Nordeste fechou o Plano Safra com recorde de um aumento de quase 100% em relação ao Plano Safra anterior. Em relação ao agronegócio tivemos também um crescimento expressivo da ordem de 15%. E esse ano estamos disponibilizando inicialmente algo em torno de R$ 21 bilhões para atender o agronegócio e a agricultura familiar por entender que são atividades importantes que podem continuar desenvolvendo nossa região, além de atender a orientação do Governo Federal para que tenhamos nossa sustentabilidade alimentar”, afirma Luiz Sérgio Machado, superintendente de Agronegócio e Agricultura Familiar do BNB.

Marco histórico
A atuação do Banco do Nordeste contribuiu para o alcance de um marco histórico: pela primeira vez o Nordeste superou o Sudeste em contratações no âmbito da agricultura familiar. No total, os produtores nordestinos receberam R$ 10,4 bilhões, alta de 62,5% frente ao exercício anterior, Os dados são do Banco Central e consideram todas as instituições financeiras que atuam no segmento.

Reflexo na economia
As aplicações do Banco do Nordeste no Plano Safra se refletem em geração de emprego, renda e arrecadação tributária para o Brasil. Conforme estudo do Escritório Técnico de Estudos Econômicos do Nordeste (Etene), os R$ 20 bilhões investidos no exercício 2023/2024, tanto para agricultura empresarial quanto para familiar, contribuíram para geração ou manutenção de 1,5 milhão de empregos, aumento de R$ 6,3 bilhões na massa salarial, incremento de R$ 2,7 bilhões na arrecadação tributária, de R$ 39,9 bilhões no valor bruto da produção e de R$ 23,3 bilhões no valor adicionado à economia.