Facebook jornal do sertão Instagram jornal do sertão Whatsapp jornal do sertao

Pernambuco, 21 de setembro de 2021

Economia

Como manter a mente saudável nos negócios durante a pandemia?

Para um dos grandes representantes do segmento de mídia indoor de Pernambuco, a Eccos Tv, que teve origem em Arcoverde, no ano de 2014, a saúde mental de colaboradores, parceiros e a resiliência em adaptar-se aos novos desafios impostos pelo isolamento social foram importantes para continuar firme e manter o time saudável e com resultados positivos

Postado em 15/09/2021 2021 08:34 , Economia. Atualizado em 15/09/2021 09:57

Jornalista , Editor Antônio José em Economia

 

CEO da Eccos Tv mídia indoor, Christiano Marcus Pereira revela que a resiliência e estreitamento de relacionamento foram cruciais para motivar equipe

A pandemia de Covid 19 acelerou uma transformação digital que aconteceria mais cedo ou mais tarde. É de conhecimento que muitas empresas não estavam preparadas para isso. E, embora uma grande parte de gestores e gestoras estejam enxergando ainda a situação como algo temporário, a tendência é que o trabalho remoto – ou híbrido – se torne a norma nos próximos anos. 

 

Uma das grandes questões levantadas por eles e por consultores em Recursos Humanos foi e continua sendo, como gerenciar equipes remotas? Será que os parceiros e colaboradores sentem-se fortes e motivados após forte pressão emocional advinda da pandemia?

O Jornal do Sertão conversou com o CEO e fundador da Eccos Tv Mídia indoor, Christiano Marcus Pereira de Albuquerque, um dos maiores representantes de Pernambuco, quando se trata de empreendedorismo neste segmento. A Eccos Tv mídia indoor surgiu em 2014, na cidade de Arcoverde, porta de entrada do sertão pernambucano. Na época, Christiano ficou interessado quando viu como funcionava o sistema de telas de fast food nos shoppings e pensou consigo mesmo: se dá certo no shopping, em uma capital, por que não no interior? 

 

“Um time metalmente saudável rende bem”, aposta Christiano

Com apoio da Associação Comercial de Arcoverde (ACA) deu início ao negócio com três telas/terminais e hoje o projeto conta com mais de 300. O modelo de negócio é similar a uma franquia, com treinamento em plataforma digital. “Todos nossos parceiros são especialistas e associados. Atualmente estamos presentes em 17 estados, em 62 municípios e mais de 300 telas/terminais”, diz o baiano que adotou Pernambuco e a cidade de Arcoverde para empreender seu negócio que já lhe rende mais de R$ 100 mil em faturamento anual. O grupo todo deve chegar a casa de meio milhão.

 

Os efeitos da pandemia

Durante a pandemia, segundo Christiano, gerenciar equipes remotamente foi interessante e desafiador. “Agimos como um suporte, se eles lá na ponta tem alguma dificuldade com o cliente ou sistema ou outra coisa ligada ao projeto, me acionam e vou de alguma forma ajudar e tentar resolver o seu problema, um verdadeiro help desk”. 

Mas, diz o CEO, sem dúvida, os parceiros inicialmente sentiram um grande impacto financeiro e emocional devido a grande perda de clientes e o medo de algo totalmente novo. “A chegada da pandemia recebemos com muito receio, mas passamos por isso com muita resiliência e atualmente já estamos com números na época pré-pandemia”, avalia.

 

Estreitar relacionamento

A conhecida frase que não existe a fórmula perfeita ou mágica para sair de desafios pessoais ou profissionais na vida se encaixa bem na história da Eccos Tv. “Somos seres adaptáveis e buscamos nos adaptar a cada momento. O que buscamos fazer foi estreitar mais ainda o nosso relacionamento com o pessoal da ponta, os que fazem a área comercial, as vendas por meio de videoconferência, reuniões virtuais e sempre dialogando da situação de cada um e que teríamos que ter paciência que isso iria passar, como está passando”, revela.

 

Sintonia com o mercado

 

Em sua avaliação, um time metalmente saudável rende bem, pois ao sair de casa altamente motivado e com a sua meta diária para trazer o resultado, tanto é bom o ambiente de trabalho profissional como o do ambiente familiar, pontuou. E o que Christiano comenta está bem afinado do que apontam recentes estudos sobre o tema. 

Na pesquisa “Os impactos da pandemia da Covid-19 no RH brasileiro” (Convenia/TiqueTaque), realizada em março deste ano com 269 profissionais de recursos humanos no País, o trabalho tende a ser mais flexível e produtivo e as empresas brasileiras devem investir mais em saúde mental dos seus funcionários.



O recorte apesar de ser relativamente regional, pois metade dos entrevistados estão na região Sudeste, constitui um modelo que veio para ficar: Quase metade delas adotou uma jornada completamente remota. De acordo com o estudo, 48,3% estão adotando o modelo de trabalho home office. Já 31,2% optaram pelo modelo de trabalho híbrido (parte do trabalho em casa, e a outra parte na própria empresa). Por fim, 20,4% das pessoas consultadas aderiram ao trabalho completamente presencial. 

O comércio foi o segmento que mais manteve o trabalho presencial (60%). Já no home office, a tecnologia lidera (37,3%).Os profissionais de recursos humanos entrevistados apontaram algumas mudanças já vistas durante o horário comercial, assim como previsões para o futuro do trabalho em empresas brasileiras.

 

Incentivos para o “time”

Com o retorno da clientela, a Eccos Tv  preocupada com a motivação de seus parceiros e colaboradores implantou premiação por instalação de telas com o sistema. A cada 10 terminais contratados, o parceiro ganha o troféu TOP telas, e tem uma premiação financeira para quem bater a meta da campanha e o acompanhamento pessoal. “ Sempre busco de uma forma ou outra mesmo distante, mando mensagem, converso para deixar a motivação lá em cima, e falo para nunca desistir de seus sonhos.

 

O modelo de negócio

A mídia digital indoor são monitores com conteúdo publicitários instalados em locais com grande fluxo de pessoas com espera forçada,  com uma programação gerenciada através de um aparelho de mídia conectado à internet , por meio do software da Eccos Tv para administrar a programação remotamente. “É onde vendemos os espaços publicitários desses monitores.Os empresários locais anunciam a sua empresa em vídeo de 20s e 30s. Tais monitores instalamos em casas lotéricas, academias, supermercados, farmácias nos mais diversos locais. Além de blocos publicitários, esses monitores passam uma programação que o sistema gerencia remotamente como: clima, tempo, horóscopo, hora certa, dicas de saúde, feeds de notícias, instagram, facebook, twitter,  resultados lotéricos isso é  tudo on line”, explicou o CEO.

Para o futuro, o grupo quer focar na expansão e chegar a todos os estados do Brasil ainda em 2021. Nos próximos 60 dias , a Eccos Tv está lançando o 3° ebook, um livro digital em pdf sobre os segredos da mídia indoor baseado na história de sucesso da empresa sertaneja. Para ser um parceiro Eccos Tv ou fazer o treinamento  como especialista em mídia indoor é simples, apenas enviar um whatsapp só mensagem ou áudio, a empresa faz uma avaliação e analisa o perfil do futuro parceiro. 


 


Como se tornar um parceiro?

Aos interessados em integrar o time da Eccos Tv tem a opção de pagar uma taxa de adesão de um salário mínimo, recebe todo treinamento, faz o investimento e tem o suporte dos manuais, além de escolher a cidade para trabalhar. Segundo Christiano, em média inicialmente será necessário a aquisição de três PDVs (ponto de vendas). “Um ponto se refere a uma Tv de 32 polegadas, um aparelho de mídia box e uma licença, um investimento de R$ 1250,00 (Mil duzentos e cinquenta reais), por local, daí ele vai vender os espaços publicitários desses monitores em média por empresa de R$ 100,00 a R$ 200,00 podendo chegar a 30 anunciantes. Se ele bater essa meta em 60 dias ele tira o investimento, depois só lucro”, acrescenta o fundador da Eccos Tv mídia indoor.

 

Serviço:

YouTube: Eccos TV mídia indoor

Instagram: @Eccos TV

Facebook: @Eccos TV

Site: www.eccostv.com.br

WhatsApp: 87 99994 6125 

 

MATÉRIA Vinculada

 

Os canais de comunicação e as mudanças que vieram para ficar

 

WhatsApp e Meet 

Para manter a comunicação entre os funcionários no trabalho híbrido, os aplicativos mais usados foram WhatsApp (84,5%), Google Meet (47,6%), Microsoft Teams (39,3%), Skype (32,1%) e Zoom (33,3%). No trabalho remoto, os aplicativos preferidos foram WhatsApp (66,9%), Google Meet (60%), Zoom (44,6%), Microsoft Teams (35,4%) e Slack (23,1%).

 Atenção : excesso de videoconferências para reuniões que poderiam ter sido e-mails impactam na queda de produtividade.

 

Estrutura de trabalho 

Tanto nas empresas que adotaram o trabalho híbrido quanto nas que adotaram o trabalho remoto, a maior dificuldade sentida pelos funcionários foi a falta de estrutura — como internet e um local para trabalho. 51,5% dos funcionários em home office e 47,6% dos funcionários em trabalho híbrido apontaram o problema . As próximas dificuldades apontadas foram o grande número de reuniões via videoconferência; manter foco; manter organização; manter comunicação interna; e manter horário comercial. Os funcionários poderiam escolher várias respostas.

 

Falta de registro de ponto

Um problema relacionado à falta de estrutura é a falta de um sistema de registro do horário de trabalho durante a pandemia. Ao adotar o home office, 41,5% das empresas suspenderam o controle de ponto. Outras 13,8% já tinham um sistema de registro online de horários de trabalho. Já 18,5% não registravam ponto anteriormente, enquanto 26,1% marcaram “outro” modelo de controle de ponto.

 

Produtividade 

A pesquisa pediu aos profissionais de recursos humanos entrevistados avaliarem o mantimento da produtividade em uma nota que vai de 1 até 5. A maioria dos entrevistados em empresas que adotaram a jornada híbrida apontou nota 4 em produtividade (45,2%). A avaliação entre os que adotaram a jornada remota é ainda mais positiva. 56,1% dos entrevistados deram nota 5, e 30,8% deram nota 4 para o mantimento da produtividade. 

 

Jornadas mais flexíveis e remotas

O mesmo sistema de notas foi usado quando os entrevistados responderam se a jornada de trabalho se tornaria mais flexível no futuro. Nas empresas que adotaram a jornada presencial, as respostas mais comuns foram 3 e 4 (29,1% cada).Nas empresas com jornada híbrida, as notas mais comuns foram 5 (39,3%) e 4 (33,3%). Nas empresas com home office, as notas mais comuns também foram 5 (56,1%) e 4 (26,1%).

 

Investimento em saúde mental

Em todos os formatos de jornada, os profissionais de recursos humanos acreditam que a saúde mental dos trabalhadores tende a piorar. A porcentagem de entrevistados que acredita que funcionários terão mais estresse é de 37,2% (presencial), 39,3% (híbrido) e 39,2% (home office). Já a porcentagem que acredita que o investimento na saúde mental vai crescer é de 36,4% (presencial), 36,9% (híbrido) e 49,2% (home office).

 

Fonte: Os impactos da pandemia da Covid-19 no RH brasileiro” (Convenia/TiqueTaque)