Facebook jornal do sertão Instagram jornal do sertão Whatsapp jornal do sertao

Pernambuco, 21 de setembro de 2021

Economia

Carne, café, arroz e até a banana elevam o preço da cesta básica em Petrolina e Juazeiro

Fatores climáticos e o aumento da exportação motivaram o aumento de preços nas principais cidades do Vale do São Francisco.

Postado em 10/09/2021 2021 11:04 , Economia. Atualizado em 11/09/2021 11:03

Jornalista , Editor Antônio José em Economia

 

Segundo a pesquisa do Colegiado de Economia da FACAPE, em Petrolina a cesta básica está custando 476,32 e a de Juazeiro está custando 412,50. Além do preço menor, na comparação com cidade pernambucana, Juazeiro também foi a que mais reduziu os preços em relação ao mês de julho com uma baixa de -3,08%, enquanto em Petrolina essa queda foi de -0,4%, gerando a deflação no período foi de -1,47%. 

Foto Reprodução

Todos os itens nas duas cidades têm valores acumulados positivos, apresentando aumentos nos últimos 12 meses, tendo em vista a carne como o item que mais custa na cesta, porém o óleo de soja é o campeão de aumento de preços em Petrolina e Juazeiro foi cerca de 53,87% no mesmo período.

Nos últimos 12 meses, em Juazeiro os alimentos acumulam alta de 13,77%. Em Petrolina, o acumulado é de 29,88%. Nas duas cidades praticamente todos os itens que compõem o custo da cesta básica têm valores acumulados positivos, ou seja, apresentaram aumento de preços nos últimos 12 meses. 

Vilões da vez

Entre os violões do aumento no custo estão a carne, o arroz, a farinha, o óleo de soja, o feijão, o leite, o açúcar e a banana. “Com a taxa de câmbio atual, favorecendo as exportações, muitos produtores de soja decidiram aumentar as exportações de soja e isso reduziu a quantidade disponível no mercado interno para fazer produtos derivados como o óleo,” explicou o coordenador da pesquisa, professor João Ricardo Lima, alertando ainda que o consumidor precisa pesquisar antes de comprar, já que a diferença de valores pode exceder os 200%.

No caso do café, a culpada foi uma geada, em Minas Gerais, que atrapalhou a safra do grão e isso fez cair a oferta do produto no mercado. Já com relação à carne, o aumento no preço foi causado pelas exportações do Brasil para a China, que reduziu a oferta do produto no mercado interno.