Facebook jornal do sertão Instagram jornal do sertão Whatsapp jornal do sertao

Pernambuco, 03 de dezembro de 2021

Economia

A DIFERENÇA ENTRE ADIAR E PROCRASTINAR? Por Tikinha Albuquerque

Procrastinar faz parte da vida do ser humano. Quem nunca procrastinou que atire a primeira pedra.

Postado em 22/11/2021 2021 21:00 , Economia. Atualizado em 23/11/2021 06:52

Tikinha Albuquerque Master Coach Escreve a Coluna Empreendedorismo para o JS Foto : Arquivo Pessoal

Procrastinar faz parte da vida do ser humano. Quem nunca procrastinou que atire a primeira pedra.
Entretanto, mesmo que seja um comportamento normal, merece atenção e estratégias para ser combatido, pois pode virar um grande problema na vida pessoal e profissional de qualquer pessoa.
Segundo a escritora Heather Murphy, num artigo publicado no jornal The New York Times, um em cada cinco indivíduos é procrastinador crônico, esta definição “crônico” é quando a procrastinação atinge vários setores da vida, para não esse comportamento chegar a esse ponto, é preciso saber como cortar o mal pela raiz.

O que de verdade é procrastinação?

Procrastinar é muito mais do que a velha frase: “deixar para amanhã o que pode ser feito hoje.” O comportamento da procrastinação está muito mais relacionado a falta de recursos para lidar com atividades importantes, crenças limitantes sobre si mesmo em suas capacidades e habilidades, sentimentos que bloqueiam certas atitudes, e muitos outros fatores ligados ao emocional.
A procrastinação pode estar ligada a distúrbios mentais, como ansiedade, depressão, estresse, entre outros. Sendo assim, não se trata, apenas de preguiça ou má vontade, e sim de um adiamento para buscar se sentir mais preparado. Algumas pessoas vivem em busca de aprovação ou de agradar ao máximo, e por consequência adiam tarefas por medo de reprovação. Porém, é comum que o comportamento procrastinador leve ao acúmulo de tarefas atrasadas e dificuldades de cumprir prazos. Procrastinadores podem se tornar extremamente ansiosos em decorrência justamente dessa incapacidade de realizar suas demandas.

No dia a dia, a procrastinação pode se manifestar de várias maneiras.

Algumas pessoas, por exemplo, tendem a deixar as atividades fáceis de executar para depois, basicamente, acreditam que, por ser algo mais simples, concluirão sem muitas complicações. O X da questão que quando junta as atividades fáceis de casa e do trabalho, a lista fica extensa e aí tumultua o dia a dia, gerando estresse e frustações.
Outros procrastinam atividades consideradas grandes ou difíceis. Nesse caso, o indivíduo enrola para começar, porque acha que não está suficientemente preparado ou irá demorar a concluir a tarefa. Geralmente, a atividade em questão nem é tão difícil, porém a insegurança faz com que pareça extremamente complexa. Um ponto bem oportuno para caracterizar a procrastinação, é que o indivíduo deixa de fazer o que precisa para realizar outra tarefa com menor relevância, raramente ele irá descansar ou fazer alguma atividade relacionada à lazer.

E o que é adiar?

Enquanto o procrastinador troca tarefas, fazendo algo de menor importância para não fazer a atividade principal, o indivíduo que adia suas atividades, não busca outra atividade para fazer, opta por não fazer nada, a menos que tenha a vontade de fazer.
Aqui até que cabe caracterizar como preguiça, o que é uma grande barreira para o crescimento pessoal e profissional. Além disso, pessoas preguiçosas acabam gerando dificuldades para aqueles que estão à sua volta, afinal, suas atividades na maioria das vezes atrasam e como os problemas não se resolvem sozinhos, outras pessoas tem que assumir algumas das suas coisas para executar.
Faz parte ter pelo menos um dia preguiçoso na vida, isso é normal e até saudável, só é preciso se preocupar se esse for um comportamento frequente.
Passar a vida toda observando os outros conquistarem seus objetivos sem sair do lugar pode ser muito frustrante. Por esse motivo, muitos preguiçosos tendem a responsabilizar os outros pelo seu insucesso, ou seja, eles nunca são culpados por nada, é mais fácil a vitimização.
Cabe aqui fazer uma autocrítica sincera e compreender, se é a vida que não lhe dá oportunidades ou você que não sai do lugar?
No dia a dia, o preguiçoso vive recusando a fazer qualquer atividade que dê o mínimo de trabalho. Não é como o adiamento do procrastinador, e sim uma recusa. Para uma pessoa preguiçosa, as coisas parecem extremamente difícil e as desculpas fazem parte do seu discurso, para não fazer aquilo que é necessário.

Procrastinação X Preguiça

O ponto crucial e determinante entre a procrastinação e a preguiça é justamente esse, o procrastinador adia a tarefa que precisa fazer, mas não se recusa em fazer. Por exemplo: o indivíduo tem um prazo para entregar o orçamento de um projeto importante, no lugar de sentar para fazê-lo, resolve arrumar suas gavetas, é muito comum a substituição de tarefas de trabalho por tarefas domésticas, como consequência faz o orçamento no dia de entregar, sobrecarregando suas emoções.
Pessoas procrastinadoras tendem a ser muito ansiosas porque, na verdade, querem cumprir as suas obrigações. O fato de adiar a atividade não significa que não tenham senso de responsabilidade, em muitos casos, como já citado, pode ser resultado de insegurança.
Por sua vez, o preguiçoso não quer fazer a atividade e normalmente recusa a responsabilidade, simplesmente não irá fazer aquilo que precisa se não estiver com vontade.

E o que fazer para resolver?

Tanto a procrastinação quanto a preguiça podem atrapalhar o desenvolvimento do indivíduo, o ideal é identificar qual dos comportamentos faz mais parte da sua vida e entender: Qual é o gatilho mental que desencadeia a sua preguiça ou a procrastinação?

Dê o primeiro (micro) passo para parar de procrastinar

A dica aqui é estabelecer uma pequena meta, que seja simples de ser cumprida. A sensação de conseguir realizá-la vai lhe fazer muito bem, e com isso, você terá o combustível que necessita para continuar enfrentando a procrastinação.

Gerencie suas emoções, não apenas seu tempo

A procrastinação como vimos não é apenas falta de tempo, pode ser a dificuldade em administrar as emoções.
Encontrar a causa é geralmente a solução mais eficaz para a questão.
Além disso, é importante encontrar uma fonte de motivação, o combustível para se manter em dia com suas atividades.
Portanto, reflita sobre os motivos por trás do adiamento e encare os sentimentos de frente.