Facebook jornal do sertão Instagram jornal do sertão Whatsapp jornal do sertao

Pernambuco, 08 de agosto de 2022

Saúde

Alta testagem indica necessidade de aumento da vacinação em Petrolina

Bióloga Mary Ann Saraiva, que estuda números da Covid-19 no Vale do São Francisco, acredita que tomar a dose reforço pode salvar muitas vidas  

Postado em 23/11/2021 2021 06:00 , Saúde. Atualizado em 23/11/2021 06:52

Colunista
Jornalista ,

Bióloga Mary Ann Saraiva estuda números da Covid-19 no Vale do São Francisco. (foto: reprodução internet)

A vacina já foi e, para muitos, ainda é subestimada. Os relatos de pessoas, tanto aqui no Sertão quanto o resto do mundo, que preferem não “arriscar” tomar a vacina contra a Covid-19 são reais e vem das mais diferentes camadas sociais. Mas o tempo vem mostrando justamente o que muitos preferirem não ver: Quem não está imunizado corre mais risco de ter complicações com a Covid-19.

No Sertão pernambucano não é diferente. Segundo a médica pneumologista Dra Morgana Carolina, dos pacientes internados em Petrolina nos leitos do UTI Covid, “a grande maioria é de não vacinados e de vacinados com mais de seis meses, sem o reforço”.

Ainda não foi divulgado pelo município nenhum levantamento desse tipo, mas as informações que estão nos prontuários médicos já são suficientes para sustentar a necessidade de dose reforço, independentemente do tipo de vacina aplicada. Em entrevista ao Jornal do Sertão, a bióloga Mary Ann Saraiva, que está debruçada nos números da Covid-19 no Vale do São Francisco, comentou sobre o cenário atual da doença na região sertaneja.

Alta de casos

No comparativo entre Petrolina e Juazeiro, os boletins epidemiológicos sempre demonstram que o município pernambucano registra mais casos do que a cidade do Norte da Bahia. No entanto, para o bióloga, a explicação é simples: Petrolina testa mais do que Juazeiro. “Há uma testagem com um maior número de pontos de testagem do que Juazeiro que testa muito pouco desde a pandemia inteira”, afirmou.

Importância da testagem

Para Mary Ann Saraiva, o momento pede ainda mais atenção de todos. “Qualquer pessoa com sintoma gripal hoje precisa suspeitar da covid-19, mesmo se vacinado. A vacina não é pra não ter a doença de forma nenhuma. É para reduzir a gravidade da doença e dar mais chance ao sistema imunológico de se defender da doença, assim como todas as outras vacinas virais. E, consequentemente, menor agravamento do quadro”, destacou.

A dose reforço

O resumo é simples: ninguém está livre da Covid-19. Por isso, além de realizar o teste em casos de sintomas gripais ou qualquer indício de virose, como diarreia, chegou no terceiro dia já faz o teste, mesmo os vacinados. “A nossa perspectiva é que as pessoas tomem a vacina de reforço porque a imunidade da vacina ela é de maior duração. Por isso, tem acontecido a ampliação da faixa etária que já tem acesso né a terceira dose a dose de reforço”.

Manutenção dos cuidados

Como realmente a pandemia não acabou, é preciso manter todos os cuidados. “O uso de máscara e a higiene com as mãos é muito importante. A máscara de tecido precisa ser trocada e, de preferência, ela deve ter três camadas de tecido. Uma máscara de tecido que não seja com três camadas de tecido, é parcialmente ineficaz.