Facebook jornal do sertão Instagram jornal do sertão Whatsapp jornal do sertao

Pernambuco, 24 de outubro de 2021

Saúde

O impacto da pandemia no comportamento humano

A pandemia da Covid-19 transformou o mundo de uma forma nunca antes imaginada. De repente o mundo parou. As fronteiras foram fechadas e as medidas de isolamento foram impostas para prevenção da disseminação do vírus.

Postado em 18/09/2021 2021 07:03 , Saúde. Atualizado em 17/09/2021 14:49

A crise da Covid-19 nos fez ficar cara a cara com nossas emoções e fragilidades e nos lançou numa nova realidade, nos deparamos com: a tristeza, o medo, a insegurança. Nesse contexto, a inteligência emocional foi e está sendo fundamental para nos mantermos fortes e conseguirmos cuidar de nós mesmos e das pessoas com o qual convivemos.

Imagem App Canva

 

A Inteligência Emocional

Entretanto, é necessário entender o que é Inteligência emocional (IE). De acordo com a psicologia, IE é o conjunto de competências relacionadas à capacidade de uma pessoa identificar e lidar com suas emoções pessoais e dos outros.

Por se tratar de uma habilidade, podemos entender que a IE pode ser evoluída desenvolvendo-se cada um dos seus pilares. Equilibrar emoção e pensamento é o caminho mais seguro para agir bem em determinadas situações da vida, porém, não significa que trilhá-lo seja um processo rápido e fácil, principalmente em momentos em que precisamos lidar com uma enorme carga emocional, como esta que estamos vivendo no momento atual, que nos levam a rever tudo o que até então conhecíamos sobre nós mesmos. 

O processo de readequação

Com a escalada da contaminação, em março de 2020, muitos passaram pela experiência de readequar o cotidiano para o enfrentamento do vírus: vida social, vida pessoal, estudos, rotina profissional. E, a velha visão de que ficar em casa era sinônimo de descanso,  transformou-se em prevenção para cumprir com o distanciamento social imposto para conter o avanço do novo coronavírus.



Essas mudanças influenciaram também os comportamentos, isolados em casa, há quem optou por se atualizar profissionalmente, surgiram inúmeros cursos online, as pessoas investiram parte do seu tempo para o autoconhecimento, outros aproveitaram para ficar mais próximos aos filhos, que por consequência também ficaram confinados e os pais tiveram que readaptar toda a rotina, principalmente com as aulas online, tendo que lidar com os desafios do dia a dia, mais a novidade de acompanhar seus filhos em um mundo totalmente novo. 

Algumas mudanças a que fomos apresentados ou que se intensificaram durante a pandemia, como a revolução do mundo digital vieram para ficar. Outras, como as que ocorreram nos setores de hotelaria e turismo, deverão permanecer por mais um tempo e vão se normalizar. Agora, algumas atividades, como: o entretenimento, trabalhos administrativos nas empresas, atendimento bancários e educação, que ainda vão levar um tempo para se reacomodar, nunca mais voltarão a ser como eram antes da pandemia.

 

O que nos espera?

Sem dúvida alguma o novo cenário produziu um rearranjo radical na nossa capacidade de se auto-organizar subjetiva e objetivamente. Talvez a aptidão mais afetada tenha sido a automotivação, porque o cenário impôs uma sensação geral de que a situação “é assim mesmo”, de que modificá-la está para além de qualquer possibilidade individual”.

Em momentos como esse, é fundamental lembrar que estamos todos juntos enfrentando a mesma situação. Acredite, tudo isso irá passar e o fato de ter buscado manter-se equilibrado fará toda a diferença nos aprendizados que teremos por meio dessa experiência.

 

Por Tikinha Albuquerque   

Coluna Observatório JS Digital