Facebook jornal do sertão Instagram jornal do sertão Whatsapp jornal do sertao

Pernambuco, 07 de março de 2021

Saúde

Infectologista do Sertão Dr.Rodrigo Videres explica como se proteger melhor com as máscaras contra a Covid

Confira quais são as mais seguras na proteção contra a Covid-19 e o que não passa de fake news. O médico infectologista Dr. Rodrigo Videres explica o nível de proteção desde as máscaras de tecidos, com válvula até o clássico teste da vela.

Postado em 23/02/2021 2021 23:59 , Saúde. Atualizado em 24/02/2021 00:01

Jornalista , Editor Antônio José em Saúde

Foto: Kilito Chan/Getty Images.

Há um ano elas viraram acessórios indispensáveis para moradores de todo o mundo. Incômodas ou não, elas são necessárias no combate a um inimigo invisível e altamente perigoso, o novo Coronavirus, causador da Covid-19.

Elas são de todos os tipos, de tecido ou descartáveis, as máscaras ainda são vistas com desconfiança por algumas. Por isso, o Jornal do Sertão conversou com o infectologista, Dr.Rodrigo Videres, que atua no Vale do São Francisco, para tirar algumas dúvidas sobre esse tipo de protetor facial.

As dúvidas e as respostas

A empresa aérea Latam passará a proibir, a partir de março, a bordo de seus voos, passageiros usando alguns tipos de máscaras. A exemplo das máscaras com respiradores ou válvulas; protetores bucais; lenços, echarpe e bandanas de pano (sem função de máscara). Elas têm mesmo baixa eficácia?

Rodrigo Videres – “As máscaras com válvulas são mais confortáveis para o usuário, contudo, sendo as válvulas unidirecionais, ela protege apenas o usuário, não filtrando o ar exalado, expondo as pessoas ao redor. Portanto, elas não são indicadas para fins de proteção biológica. Essas máscaras com válvulas são mais utilizadas na construção civil, por exemplo, para a proteção para poeiras ou fumos. As máscaras feitas com tecidos muito finos, por terem uma malha muito aberta e leve, dado que tecido de trabalho com gramatura por metragem, são ineficientes”.

E quem já tomou vacina, porque deve manter o uso da máscara?

R.V – “São vários aspectos. Primeiro, nenhuma vacina é 100%. Depois você pode ter tomado a vacina e ela ainda não ter tido o efeito protetor ainda, e no dia da vacina, por exemplo, você já poderia estar contaminado e não apresentava os sintomas. Por isso digo, a vacina é apenas uma das ferramentas para tentar barrar a circulação do vírus na população”.

Tem gente que recicla a máscara descartável. Qual o risco disso?

R.V – “Existem vários tipos de máscaras. Algumas podem ser recicladas dentro de estufas profissionais. Mas, a grande maioria, não. É temeroso usar algo que não esteja dentro de sua melhor capacidade de proteção”.

O teste da vela, que é quando a pessoa, usando máscara, tenta apagar a chama. Nas máscaras onde o sopro ultrapassa, significa que o vírus também atravessa a máscara? Ou não tem influência?

R.VNão há nenhuma validação científica sobre o uso do teste da vela.

JS Saúde